• Menu
  • Menu
Londres

O que fazer em Londres: roteiro de 10 dias para conhecer a capital da Inglaterra!

Está com viagem marcada e planejando o que fazer em Londres? Saiba que a capital da Inglaterra é uma cidade com inúmeras atrações e possibilidades inesgotáveis de passeios para explorar todo o charme e a diversidade da cultura britânica.

É possível passar anos em Londres sem conhecer todos os cantinhos e peculiaridades que a fazem tão interessante. Mas claro que 10 dias por lá já são o suficiente para ter um gostinho de tudo isso!

Devo dizer que não foi tarefa fácil montar esse roteiro. Alguns pontos tiveram que ficar de fora. No fim, selecionei as atrações que considero mais bacanas e significativas depois de morar um ano e alguns meses na terra da rainha. 🙂

Se você gosta de explorar bairros e regiões menos turísticas para se sentir como os locais, esse roteiro vai ser ainda mais útil para você!

Agora chega de papo e vamos ao que interessa: o que fazer em Londres em 10 dias?

As cores dos pins estão de acordo com os dias referentes ao roteiro!

Dia 1: Palácio de Buckingham, Hyde Park e London Eye

Palácio de Buckingham
Fonte: Unsplash

Começando com os clássicos, o Palácio de Buckingham é parada obrigatória em Londres! Você pode comprar ingresso para conhecer o interior da residência oficial da Rainha Elizabeth II. Ou, como a maioria dos turistas faz, conferir a magnitude da construção somente por fora.

Então, programe sua visita ao palácio considerando os horários da troca de guarda. É um ritual super interessante de assistir e acontece todos os dias! Confira o calendário oficial no site do Exército Britânico.

Depois, pertinho dali, caminhe para o norte em direção ao Hyde Park, um dos maiores e mais belos parques de Londres. Tem vários cantinhos lindos para explorar por lá: lago com animais e pedalinhos, jardins e rosários, uma fonte em memória à Princesa Diana, a estátua do Peter Pan e muitos (muitos!) esquilos.

Saindo do Hyde Park, volte para a região do Palácio de Buckingham e vá para o Saint James Park, outra área verde lindíssima de Londres. De lá você tem visão para a London Eye e o visual rende ótimas fotos!

London Eye
Fonte: Pixabay

Depois, é só caminhar algumas quadras para o sul, passando pelo Imperial War Museum, e você estará de frente para a Abadia e o Palácio de Westminster, onde fica a Torre do Big Ben. Aqui você tem vários símbolos londrinos reunidos, já que é só atravessar a ponte para se deparar com a famosa London Eye!

*Dica: pegue o metrô até a estação Green Park para chegar ao Palácio de Buckingham e depois faça o percurso a pé.

Dia 2: Piccadilly Circus, Covent Garden e Trafalgar Square

Piccadilly Circus
Fonte: Pixabay

A Piccadilly Circus é outro clássico de Londres! Localizado entre importantes avenidas da capital inglesa, como a Regent Street, é um largo com grandes lojas e telões coloridos, formando um visual semelhante ao da Times Square em Nova York.

A leste da Piccadilly Circus, seguindo pela Coventry Street, você encontra a loja da M&M’s World. Os produtos são um pouco caros, mas é um lugar fascinante de conhecer, principalmente para quem está viajando com crianças!

Seguindo para o norte, passe pela Chinatown e experimente as delícias da culinária chinesa em uma das dezenas de restaurantes da região. Depois, siga ainda mais ao norte para o Soho, bairro que concentra as peças de teatro e espetáculos musicais da West End, a “Broadway” inglesa.

Carnaby Street
Fonte: Pixabay

Não deixe de passar pela Carnaby Street, uma rua iluminada e cheia de lojinhas coloridas que foi o centro da música e da moda nos anos 1960! Pertinho dali, dê um pulo também no charmoso bairro de Covent Garden para ver flores na calçada, músicos de rua e muitas outras lojas incríveis para você aproveitar!

Por fim, termine o passeio na Trafalgar Square, a praça em frente à Galeria Nacional de Londres onde frequentemente ocorrem eventos e festivais musicais ao ar livre.

*Dica: pegue o metrô até a estação de Piccadilly Circus e depois faça o restante do percurso a pé.

**Ah, e se o seu foco são as compras, inclua a Oxford Street no roteiro. Lá estão as maiores e mais populares marcas internacionais, com lojas de departamento, roupas, calçados, decoração, acessórios, souvenires e eletrodomésticos para diferentes bolsos! 

Dia 3: Camden Town, Regent’s Park e Museu do Sherlock Holmes

Camden Town
Fonte: Pixabay

Camden Town não é um dos meus locais preferidos de Londres porque geralmente tem muito turista e pouco espaço para caminhar. Mas por ser um bairro super importante na cidade não dá para deixar de recomendá-lo!

Camden tem uma forte vida noturna e abriga tribos da contracultura, como os punks. Passando por lá você vai encontrar diversas lojinhas que vendem piercing, tatuagem, camisetas de banda, coturnos e tudo que é tipo de artigo mais “alternativo”.

Tem também algumas lojas de quinquilharias para a casa e muitas barraquinhas de comida de rua. Ótimo para quem gosta de provar a culinária de diversos locais do mundo! Ah, e por lá fica a estátua da cantora Amy Winehouse, que nasceu e cresceu no bairro.

Regent’s Canal
Fonte: Pixabay

Fugindo do fervo, pegue o caminho ao longo do Regent’s Canal, onde você encontra diversas casas em barcos ao longo do canal! Vá até o Regent’s Park, outra grande área verde muito apreciada pelos londrinos, e não deixe de conhecer o Queen Mary’s Garden.

Se você quiser conhecer o Museu do Sherlock Holmes (número 221b da Baker Street, exatamente como na história!), garanta o ingresso antecipadamente para não perder tempo na fila.

*Dica: pegue o metrô até a estação de Camden Town e depois faça o restante do percurso a pé.

Dia 4: Shakespeare’s Globe, Tate Modern e Catedral de Saint Paul

Tate Modern
Fonte: Pixabay

O Shakespeare Globe fica na região sul à margem do Rio Tâmisa. É uma réplica do antigo teatro onde William Shakespeare escrevia suas peças, que foi demolido em 1644, após ter sido destruído por um incêndio em 1613. Então, para entrar na construção e conhecer mais da vida do escritor, você precisa adquirir ingresso.

Por outro lado, a oeste, ainda nas margens do Tâmisa, você encontra o Tate Modern. O Museu de Arte Moderna de Londres abriga exposições super interessantes, algumas pagas e outras gratuitas. Além disso, dá uma bela vista para a cidade no terraço do prédio!

À frente do Tate, tem a Millennium Bridge, uma das construções mais fotografadas da cidade. Construída na virada do milênio, essa passarela é famosa, principalmente, pela estrutura sinuosa e por ter sido destruída em uma das cenas dos filmes Harry Potter.

Atravessando a Millennium Bridge, você tem a visão da imponente Catedral de Saint Paul, a sede do Bispo de Londres.

Millennium Bridge e Catedral de Saint Paul
Fonte: Pixabay

*Dica: pegue o metrô até a estação de London Bridge para chegar ao Shakespeare Globe (passando pelo mercado de comida de rua Borough Market) e depois faça o restante do percurso a pé.

Dia 5: Tower Bridge, Torre de Londres e Sky Garden

Tower Bridge
Fonte: Pixabay

A Tower Bridge é um dos pontos turísticos mais bonitos de Londres! A estrutura construída em 1886 impressiona pela imponência. Por isso eu indico ficar um tempo ali contemplando a vista e observar a ponte levantando para dar passagem aos barcos que navegam pelo Tâmisa.

Depois, caminhe pela margem do rio e vá até a Torre de Londres, uma construção que já serviu de forte para defender a cidade. A torre também abriga relíquias como as jóias da Coroa Britânica. Ademais, é preciso comprar ingresso para acessar o interior!

Sky Garden
Fonte: Pixabay

Agora, uma dica que poucos turistas conhecem! 15 minutos a pé em direção ao centro, você encontra o prédio que recebeu o apelido de Walkie-Talkie. No topo dele, a uma altura de mais de 150 metros, fica o Sky Garden, o jardim público mais alto da cidade! Ou seja, o visual lá de cima é impressionante.

A entrada no jardim é gratuita, mas você precisa agendar sua visita antecipadamente pelo site. Também, pertinho dali, tem outro terraço super bonito e gratuito: o Rooftop Garden 120 Fenchurch. Esse não precisa ter agendamento para visitar!

*Dica: pegue o metrô até a estação de Tower Hill para chegar à Tower Bridge e depois faça o restante do percurso a pé.

Dia 6: Museu Britânico, Museu de História Natural e Victoria & Albert

Museu de História Natural de Londres
Fonte: Pixabay

Os museus de Londres são uma atração à parte! Ou seja, tem para todos os perfis e preferências (até para aqueles que pensam não gostar de museu).

Meu preferido é o Museu de História Natural, que mantém réplicas de animais pré-históricos e um mini parque temático de dinossauros. Ótimo para levar as crianças! Além disso, o saguão do prédio é lindíssimo, cheio de escadarias, arcos, vitrais e tijolos aparentes. Um cenário incrível para tirar fotos!

Saindo do Museu de História Natural, logo à frente você tem o Victoria and Albert, um prédio de 7 andares com uma coleção de mais de 4,5 milhões de objetos de artes decorativas, moda e design.

Museu Britânico
Fonte: Unsplash

E para continuar no embalo dos museus, pegue o metrô e confira também o Museu Britânico de Londres. Seu acervo inclui peças como a Pedra de Roseta e resquícios do Partenon de Atenas.

*Dica: pegue o metrô até a estação de South Kensington para chegar ao Museu de História Natural e ao Museu Victoria & Albert. Depois, pegue a linha Piccadilly até a estação de Holborn para chegar ao Museu Britânico.

Dia 7: Canary Wharf, Cutty Sark e Observatório de Greenwich

Canary Wharf
Fonte: Pixabay

O bairro de Canary Wharf, cheio de docas e circundado pelo Tâmisa, normalmente não está na rota dos turistas. Segundo centro financeiro de Londres, ele parece até outra cidade, sem qualquer traço da antiguidade característica da capital inglesa. Por isso, eu indico a visita para quem gosta de ver construções modernas e arrojadas.

Saindo de Canary Wharf em direção ao sul, você chega até a margem do Tâmisa e pode atravessar a pé por um túnel embaixo do rio que dá acesso ao outro lado. Então, você chega em Cutty Sark, um pequeno e charmoso bairro com várias referências à Marinha Britânica.

Greenwich Park
Fonte: Pixabay

Caminhando mais algumas quadras para sul, outro grande parque de Londres se apresenta: o Greenwich Park. No alto de um pico, há o observatório com a linha que divide o mundo ao meio (Meridiano de Greenwich). Ou seja, lá também tem uma vista incrível para o parque, o rio e a cidade ao fundo.

Por outro lado, se você visitar o parque em meados de abril, pode conferir o túnel de árvores cerejeiras com as flores desabrochando no início da primavera. O visual fica lindo!

*Dica: pegue a linha de metrô DLR até a estação de Canary Wharf e depois faça o restante do percurso a pé.

Dia 8: Notting Hill e Abbey Road

Portobello Road em Notting Hill
Fonte: Pixabay

Notting Hill não pode faltar no seu roteiro de 10 dias em Londres! Na minha opinião (e de muita gente) é o bairro mais charmoso da cidade. Tudo por conta das casas elegantes e coloridas, as ruas pacatas e floridas e as lojinhas e restaurantes presentes na região.

Por isso, a minha dica é caminhar bastante e apreciar cada encanto que Notting Hill tem a oferecer. Procure pela livraria que ganhou fama no filme Um Lugar Chamado Notting Hill, estrelado pela atriz Julia Roberts em 1999.

Vale também conferir os brechós e a feirinha de antiguidades que acontece todos os sábados na Portobello Road. Dá para sair com presentes bem bacanas da viagem!

Abbey Road
Fonte: Pixabay

Depois, pegue o ônibus ou o metrô e siga o passeio para conhecer o estúdio utilizado pelos Beatles, onde está localizada a icônica faixa de pedestres que o quarteto cruzou para a foto do álbum “Abbey Road”.

*Dica: pegue o metrô até a estação de Notting Hill Gate e faça o percurso pelo bairro a pé. Depois pegue o ônibus da linha 31 para chegar ao estúdio dos Beatles na Abbey Road.

Dia 9: Richmond Park

Richmond Park
Fonte: Pixabay

O Richmond Park é um local mais afastado. Fica na zona oeste, a aproximadamente uma hora do centro de Londres. Por isso recomendo que você reserve um dia inteiro para visitar o parque.

Por isso, a grande atração de Richmond é a natureza intocada e a vida selvagem. Antigo local de caça, abriga gansos, aves e veados que andam livremente pelo parque. Sendo assim, você pode observá-los e tirar fotos dos animais, mas não é recomendado chegar muito perto.

*Dica: vá até a estação de Waterloo e pegue um trem que vai até a estação de Putney. De lá, pegue o ônibus da linha 85 para chegar ao parque.

Dia 10: Mayfield Lavender

Michel Fontes
Fonte: Michel Fontes

Por fim, um local que você certamente vai se encantar: Mayfield Lavender, o belíssimo campo de lavandas que fica a pouco mais de uma hora do centro de Londres!

Então, pegue a linha de trem interurbana e um ônibus e prepare-se para tirar muitas fotos em meio à beleza dessa fazenda. A entrada é super barata e a experiência é incrível.

*Dica: vá até a estação de Victoria e pegue um trem que vai até a estação de Purley. De lá, pegue o ônibus da linha 166 para chegar ao campo de lavandas.

Ufa! Vão ser 10 dias muito bem aproveitados, não é? Aposto que você vai se apaixonar por Londres e desejar voltar em breve para conhecer ainda mais dessa cidade incrível! 🙂

Para ver mais dicas sobre meios de transporte, clima e moeda na Inglaterra, acesse o post de Londres para Principiantes aqui no Guia Viajar!

Júlia Burg

Jornalista em aventura no marketing digital, redatora de conteúdo e viajante nas horas vagas. Morei um ano e alguns meses em Londres, capital da Inglaterra, e conheci uma porção de lugares incríveis. Agora quero dividir todas as minhas experiências com vocês! :)

Ver história

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 comentários