Porto de Galinhas, roteiro de uma semana

Quando decidimos ir novamente para Porto de Galinhas a família perguntou: “De novo?”. Estive lá alguns dias em Julho de 1999 com a minha família, depois voltei em lua de mel em Novembro de 2007 (leia o post sobre essa viagem), estive num resort para uma convenção da empresa em Agosto de 2013 e voltei de férias com o marido e os sogros em Feveiro de 2014. Viagens completamente diferentes, alguns passeios repetidos, e a sensação de que voltaria muitas vezes mais.

Vai dar praia?

A temperatura em Recife e arredores varia muito pouco durante o ano. A média é de 26ºC, ficando entre 22 a 30ºC. O que muda bastante é a quantidade de chuva. Os meses mais chuvosos vão de Abril a Julho, e os menos chuvosos vão de Outubro a Fevereiro. Experimentei épocas diferentes em Porto de Galinhas, e achei Novembro o melhor mês na combinação temperatura x chuva x baixa temporada (mais barato e mais tranquilo).

Mas nessa viagem a previsão do tempo não é suficiente para saber se vai dar praia, é preciso também dar uma olhada na tábua das marés. Como a grande atração de Porto de Galinhas são as piscinas naturais, a maré baixa garante que as piscinas se formem e que o mar fique mais tranquilo para os passeios e o mergulho.

Nesta página tem a tábua completa e atualizada diariamente. Planeje seus passeios às piscinas para quando a maré estiver abaixo de 0.5 (quanto mais próximo a 0.0 melhor). E muita atenção aos horários, a maré baixa acontece duas vezes ao dia e sempre de 30 a 45 minutos mais tarde do que no dia anterior.

Pacote pronto ou planejamento próprio?

Outra dúvida que sempre surge é se vale a pena comprar um pacote ou fazer tudo por conta própria. Eu sempre prefiro planejar cada detalhe, mais sei o tempo que isso demanda.

  • Os pacotes te dão a oportunidade de parcelar todas as grandes despesas, dão mais segurança, especialmente se você não for um viajante muito experiente, e te possibilitam se preocupar apenas com o horário que precisa chegar ao aeroporto.
  • Se fizer tudo por conta própria você vai precisar pesquisar sobre o local de destino, garimpar passagens em promoção, pedir umas dicas de hotéis, decidir se é vantagem alugar um carro, e se vai programar todos os passeios ou deixar a vida te levar.

Como já disse, eu sempre prefiro a última opção, pela liberdade de decidir o tempo dedicado a cada coisa, e por ter a possibilidade de mudar o roteiro no meio da viagem, caso algum lugar te surpreenda (positiva ou negativamente).

Na útlima viagem para Porto de Galinhas, de 04 a 10 de Fevereiro de 2014, éramos quatro pessoas, o que ajuda a diluir algumas despesas. Para quem quer ter uma ideia quanto aos grandes custos da viagem, aí vai quanto gastamos dessa vez:

  • Compramos as passagens numa mega promoção da Tam: voos POA-Recife-POA com escala na ida e na volta por R$ 400 por pessoa (com taxas e parcelado em 6 vezes). Para conseguir preços bons, fique de olho nas promoções que costumam acontecer nos finais de semana. Se puder planejar as férias, procure fugir da alta temporada e dos feriados.
  • Alugamos uma Pálio Weekend na Unidas: seis diárias, dois motoristas extras e seguro completo por R$ 890 (parcelados em 6 vezes). Conseguimos um desconto especial porque a empresa onde trabalho tem uma parceria com a Unidas, mas você também pode conseguir um bom preço através da companhia aérea, dos teus pontos do cartão de crédito ou dos sites de compra coletiva, é só pesquisar! Não esqueça de levar ou alugar um GPS. Nós preferimos comprar um bom aplicativo para o celular. Nesse caso, não esqueça o carregador para carro.
  • Ficamos hospedados na Pousada Aconchego do Porto: seis diárias em quarto duplo por R$ 1.290 (com taxas e parcelados em 2 vezes). A pousada é uma graça e o atendimento é ótimo. Nós ficamos nos quartos mais simples, que eram bem pequenos e o banheiro não era bom. A localização era boa, considerando que tínhamos o carro para ir até o centro à noite, que fica a 5 km de distância. No final, o custo-benefício valeu a pena.
  • Com esses três itens principais cada casal gastou R$ 2.535. Para fins de comparação, os pacotes padrão da CVC em Fevereiro variam entre R$ 1.800 e R$ 3.500, mas não incluem o carro.

Roteiro Porto de Galinhas em 7 dias

DIA 1

PONTA A PONTA DE BUGUE

Para começar com o pé direito eu sugiro o passeio Ponta a Ponta de bugue. Nós compramos no próprio hotel e custou R$ 200 para 4 pessoas por 8 horas. É uma ótima maneira de conhecer um pouco de tudo de Porto de Galinhas e de pegar todas as dicas da região com o bugueiro.

MURO ALTO

Saímos do hotel as 8h, passamos por Cupe e paramos em Muro Alto. Essa é a praia dos grandes resorts e o acesso é difícil sem o bugue. Chegue cedo, pois a praia fica bem cheia perto do meio dia. Se acomode em uma das mesas dentro da água e aproveite o mar mais manso da viagem. Uma grande barreira de recifes mantem as ondas longe, e garante uma grande piscina sem ondas. Se quiser chegar perto dos recifes existem algumas opções: caiaques com o fundo transparente, pranchas de stand up paddle ou jangadas. Existe um quiosque vendendo bebidas e petiscos, e os garçons atendem na mesa. Mas os preços são mais salgados que a água do mar, então cuidado para não gastar todo o orçamento do dia nessa primeira parada! Conforme as horas passam e as mesas vão enchendo, aparecem todo tipo de ambulante: comidinhas, bijuterias, vestidos, trios de forró, pintores de azulejo… No começo é divertido, mas depois vai cansando. Hora de partir para a próxima!

Praia de Muro Alto

MARACAÍPE

Dali seguimos para Maracaípe, que é a praia do surfe e de outros esportes que exijam ondas, vento e correnteza. Não é a melhor praia para banho, mas a paisagem é linda. Almoçamos em uma vila bem simpática da praia e seguimos o passeio. Devido ao horário da maré tivemos que correr para a próxima praia, mas eu recomendo que vocês visitem o Pontal de Maracaípe. Lá tem um passeio de jangada onde é possível ver o manguezal bem de perto (na época dos caranguejos fica lindo) e observar os cavalos-marinhos que vão até lá para reproduzir (o janguadeiro mergulha e traz na mão pra gente ver). Nesse lugar, em outra viagem em 2007, eu vi um dos pores do sol mais lindos da minha vida.

Maracaípe

PISCINAS NATURAIS DE PORTO DE GALINHAS

A próxima parada, que exigia pressa, eram as piscinas naturais de Porto de Galinhas. A maré estava chegando no seu ponto mais baixo do dia, e a gente não podia desperdiçar. O ingresso das jangadas custou R$ 20 por pessoa, e foi preciso esperar completar seis pessoas para ela partir. Nós optamos pelas piscinas menos disputadas. Existe uma famosa no formato do mapa do Brasil, mas onde tiver mais gente, com certeza terá menos peixes! O janguadeiro nos ofereceu snorkels e jogou comida pra peixe na água. O passeio foi incível, e apesar de ser tudo tão “armado”, o contato próximo com a natureza dá uma sensação muito boa.

DIA 2

VIAGEM DE PORTO DE GALINHAS PARA CARUARÚ

No segundo dia nós optamos por um roteiro mais urbano e menos badalado. O caminho até Caruarú tem 200 km e leva 3 horas. O pessoal do hotel nos recomendou ir até Recife e seguir pela PE 232 até Caruarú. Existe outra opção que corta caminho, mas segundo eles não vale a pena pela condição da estrada. Saia cedo para aproveitar bem o dia, mas cuidado com o horário do trânsito na chegada à Recife (você está de férias, mas tem muita gente trabalhando por lá). É muito interessante observar no caminho como a paisagem vai mudando. Os coqueirais dão espaço às plantações de cana, e enquanto passamos da zona da mata para o agreste nordestino, dá pra lembrar bem das aulas de geografia!

FEIRA DE CARUARÚ

A música de Onildo Almeida, cantada por Luiz Gonzaga, resume tudo: “A Feira de Caruarú, faz gosto a gente vê. De tudo que há no mundo, nela tem pra vendê”. E é de tudo mesmo. A feira se divide em alguns segmentos: Frutas e Verduras, Açougue de Carne, Mercado de Feijão e Farinha, Feira do Troca-troca, dos Passarinhos, das Flores, das Panelas, de Calçados, de Roupas, de Raízes e Ervas, de Lanches, do Ferro Velho, do Artesanato, dos Importados, do Gado e, a mais famosa, da Sulanca (toda terça-feira a partir das 5h).

Na chegada vale a pena passar no centro de informações ao turista (na Av. Lourival José da Silva, em frente ao shopping) para pegar todas as dicas e se localizar. Nós caminhamos em boa parte da feira e depois procuramos um lugar bem típico da região para almoçar. Nos recomendaram a Tia Guida, que fica bem no meio da feira. O lugar não podia ser mais simples, e a comida não podia ser melhor. Comemos bode assado, carne seca, bisteca de cupim, e vários acompanhamentos bem típicos. Estava tudo uma delícia, o atendimento foi ótimo e o preço justo.

MUSEU DO FORRÓ LUIZ GONZAGA

Pra sentir o clima da região, prepare umas músicas do Luiz Gonzaga para ouvir no caminho. E para entender todo o carinho que os nordestinos tem por ele, vá até o Museu do Forró Luiz Gonzaga. Fomos acompanhados por uma funcionária que contou muitas histórias sobre ele, e sobre o filme feito em 2012 com várias peças do Museu. Lá tem também uma ala em homenagem à Elba Ramalho e o Museu do Barro, com peças originais do Mestre Vitalino e outros artistas locais.

MUSEU MESTRE VITALINO – ALTO DO MOURA

O dia já estava acabando e não conseguimos conhecer o Alto do Moura. Lá ainda existe a casa do Mestre Vitalino, que retratou a cultura nordestina no barro. É possível comprar peças produzidas pelo filho dele, Severino Vitalino, e conhecer o trabalho de outros artesãos da região.

SÃO JOÃO DE CARUARU

Se coincidir de você viajar pra lá em Junho, tem que conhecer o São João de Caruaru. Eu nunca fui, mas ele disputa, junto com Campina Grande, o título de maior e melhor São João do Mundo. É um mês inteiro de festa, com direito a mais de 200 shows, comidas típicas e cidade cenográfica.

NOVA JERUSALÉM – A PAIXÃO DE CRISTO

Em outra viagem em 2007 conhecemos a cidade-teatro onde todos os anos é encenada a Paixão de Cristo. Fica em Nova Jerusalém, a 60 km de Caruaru. Na época era possível fazer um passeio para conhecer todos os cenários, se vestir com trajes típicos da época de Cristo e jantar no cenário da Santa Ceia! Se você se interessar, lá tem uma pousada que fica aberta o ano todo.

DIA 3

PRAIA DOS CARNEIROS

Sabe aquela foto perfeita com areia braca, mar azul sem ondas e coqueiro curvado na beira da praia? É na Praia dos Carneiros que você vai tirar! Ela está entre as 15 praias mais bonitas do mundo (escolhida pelos usuários do TripAdvisor). Como fica a 46 km de Porto de Galinhas, vale a pena sair cedinho. O caminho já é uma atração, pois a estrada atravessa os canaviais. Para chegar na praia é preciso acessar um dos restaurantes da região.

Praia de Carneiros

RESTAURANTE BORA BORA

Nós fomos direto ao famoso Bora Bora, que prometia ter a melhor estrutura. A entrada é linda, no meio de um coqueiral enorme. A estrutura do bar é realmente boa, com quiosques, restaurante, banheiros, chuveiros, muitas mesas e fica num trecho lindo da praia. Mas não demorou muito para chegar dezenas de ônibus de excursão e deixar o lugar muito tumultuado. Optamos por sair caminhando e curtir a praia num trecho sem estrutura nenhuma.

O MELHOR BANHO DE MAR

Deixamos nossas coisas na sombra de um dos coqueiros curvados e fomos para a água, a mais quente e transparente de toda a viagem. Não precisava nem de snorkel para ver os peixes! Sem dúvida o lugar mais bonito do litoral de Pernambuco.

RESTAURANTE PRAINHA DOS CARNEIROS

De lá fomos procurar um lugar para almoçar (que não fosse o tumultuado Bora Bora) e encontramos o Prainha dos Carneiros, com a mesma proposta do anterior, mas bem mais tranquilo. O almoço estava uma delícia e em seguida descansamos em espreguiçadeiras embaixo de quiosques na beira da praia.

PASSEIO DE BARCO – PRAIA DOS CARNEIROS

Depois saímos para o obrigatório passeio de barco (também pode ser de lancha), que começa com uma parada nas piscinas naturais, com direito a snorkel e muitos peixinhos. De lá subimos o Rio Formoso até uma prainha que tem uma argila especial. Nosso guia tirou a argila de um barranco, lavou e nos deu para passar no rosto e no corpo. O que não fazemos por uma pele jovem e macia? Antes de voltar ele ainda nos levou até um manguezal, que acabamos entrando com o barro até o joelho, uma experiência muito legal. Na volta ainda ganhamos um lindo por do sol de brinde! Um dia lindo e inesquecível.

Igreja na praia de Carneiros

ILHA DE SANTO ALEIXO

Se der tempo não deixe de conhecer a Ilha de Santo Aleixo, que fica em frente a Praia dos Carneiros. Pergunte pelos passeios de barco até lá. Santo Aleixo é uma ilha particular e deserta, mas a visitação às suas praias é permitida de Outubro a Maio. O cenário é paradisíaco, o mar é calmo e, com maré baixa, surgem várias piscinas naturais. A ilha é uma mistura de pedras vulcânicas e mata atlântica, e é possível contorná-la a pé (desde que você tenha bom preparo físico e disposição para pequenas escaladas).

DIA 4

RECIFE E OLINDA

Intercalando dias de praia e cidade, recomendo aproveitar o quarto dia para conhecer Recife e Olinda. Porto de Galinhas está a 60 km de Recife e a estrada, que é nova, é muito boa. Como não vou lá desde 2007, vou deixá-los com esse roteiro de 2 dias do blog ViajeAqui, que bem planejado com certeza pode ser resumido em um só.

Arquitetura holandesa no centro de Recife
Arquitetura holandesa no centro de Recife

Ruas estreitas e casas coloridas de Olinda
Ruas estreitas e casas coloridas de Olinda

DIA 5

CABO DE SANTO AGOSTINHO

Cabo é uma cidade a 30 km de Porto de Galinhas, famosa pelos engenhos antigos, como o Engenho Massangana, pelo Forte Castelo do Mar, pelas várias igrejas, mas, principalmente, pelas lindas praias. São elas: Praia do Paiva, de Itapuama, Pedra do Xaréu, Enseadas dos Corais, de Gaibú, de Calhetas, do Paraíso e de Suape. Estivemos em várias delas em 2007, mas a que ficou na memória e resolvemos repetir em 2014, foi Calhetas.

CALHETAS

A estrada até Calhetas é ruim, mas pra não se perder siga as placa do Bar do Arthur. Em uma das curvas já próximo ao bar nós paramos para tirar umas fotos da praia. Ela tem formato de coração e é linda vista de cima. Bem nessa curva descobrimos uma tirolesa que leva até o Bar, uma opção bem radical pra chegar lá rapidinho, mas alguém precisa ficar pra levar o carro.

O acesso ao bar é difícil, é preciso deixar o carro a uns 600m e descer uma ladeira. A praia é minúscula e o bar é o melhor lugar para ter como ponto de apoio. O mar lá é mais revolto, mas igualmente quente e transparente. Vale a pena para passar a manhã e já almoçar no bar.

Aproveite a tarde para explorar as outras praias da região, e depois conta aqui pra gente quais valem mais a pena!

Calhetas

DIA 6 (e DIA 7)

Para o sexta dia eu tenho duas sugestões, mas você vai precisar escolher, ou então, ter um dia a mais:

MARAGOGI

Fica em Alagoas, a 80 km de Porto de Galinhas. As águas são transparentes e quentes, e a principal atração são as “galés”, uma grande piscina natural localizada a 15 minutos de catamarã partindo da praia. O passeio custa R$ 50 por pessoa e chegando lá você pode escolher entre o mergulho com snorkel ou com cilindro. O mergulho com cilindro não exige treinamento porque é acompanhado. Custa em torno de R$ 80 por pessoa, mas pra quem não tem experiência vale a pena. Nós fizemos e eu achei demais!

Maragogi

ILHA DE ITAMARACÁ

Nunca estive lá, mas está na lista para a próxima viagem. Itamaracá, que fica ao norte de Recife a 105 km de Porto de Galinhas, foi campo de batalha entre Holanda e Portugal no século XVII, portanto tem muita história pra contar. Quero conhecer o Forte Orange, o Centro Peixe-Boi, a Vila Velha, e, é claro, as linda praias Coroa do Avião, Enseada dos Golfinhos e Pontal da Ilha.

Noite de Porto de Galinhas

As dicas até agora foram focadas nos DIAS, mas também temos as NOITES!

Centrinho e Calçadão: no centrinho de Porto de Galinhas você vai achar de tudo, muitas lembrancinhas, barzinhos, restaurantes, artesãos de rua, vendedores de passeios, pousadas e muito mais. Para comer sugiro a tapioca do calçadão, a Casa do Bolo de Rolo e o Restaurante Barcaxeira (bem perto da praia).

Show Folclórico: se quiser conhecer mais sobre as danças e músicas nordestinas, procure um show folclórico. Se informe sobre o do Beach Class Resort, é aberto ao público que não está hospedado.

Forró: para dançar o ritmo preferido do nordeste o lugar mais recomendado é o Lua Morena. Para outros ritmos recomenda-se o Bar Birosca da Cachaça e o Lua de Limão Sound Café.

Compartilhe este artigo

Artigos Recentes

Um comentário :| sobre “Porto de Galinhas, roteiro de uma semana”

  1. Júiio disse:

    Olá, em outubro farei uma viagem à Recife estou pensando no seguinte roteiro. Vou sozinho!
    03/10 – Saída do Rj final da noite (chegarei por volta de 1h em Recife)
    04/10 – Recife conhecer um pouco da cidade (Vou embora pra Porto no final do dia)
    05/10 – Porto De Galinhas (ficar ali pelo Centro mesmo)
    06/10 – Porto De Galinhas (Conhecer Muro Alto )
    07/10 – Porto De Galinhas (Conhecer Praia dos Carneiros)
    08/10 – Ir à João Pessoa e voltar no final do dia
    09/10 – Recife (conhecer alguns pontos turísticos de lá)
    10/10 – Recife (Ir a Olinda)
    11/10 – Vim embora (pior parte. Hehehehe)
    Grande Abraço!

Comente!

© 2017 Guia Viajar. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Powered by WordPress · Designed by Theme Junkie