• Menu
  • Menu
Patagônia Chilena

Patagônia Chilena: roteiro de 4 dias

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, uma grande parte da região da Patagônia pertence ao Chile (não só à Argentina). São diversos os turistas que optam, portanto, por curtir um roteiro na Patagônia Chilena e ainda conhecer rapidamente outras regiões do país.

Pensando em ajudar você a aproveitar bem cada um dos seus dias de viagem, montamos uma sugestão de roteiro para visitar a Patagônia Chilena em quatro dias e ainda dar uma passadinha em Santiago, a capital do país. Bora viajar?

Patagônia Chilena: dia 1

O primeiro dia é dedicado ao transporte. Na hora de escolher como chegar até a Patagônia Chilena, você tem, basicamente, duas opções:

1 – A maioria dos vôos do Brasil para o Chile tem como destino a cidade de Santiago. Nesse caso, a nossa dica é escolher um voo que chegue cedo no país e dê tempo de dar uma voltinha na cidade e passar a primeira noite por lá. No dia seguinte, pegue outro voo para a região da patagônia.

2 – Raramente, é possível encontrar voos que tem destino direto para o aeroporto de Punta Arenas, mas pode acontecer. O aeroporto fica somente 2h30 de distância de carro da cidade de Puerto Natales e por lá ficam grande parte das atividades da Patagônia Chilena.

Patagônia Chilena: dia 2

Já acomodados em Puerto Natales, fica fácil de se dirigir para os principais pontos turísticos da Patagônia Chilena. Para o segundo dia, nossa dica é dedicá-lo para conhecer o Parque Nacional Torres del Paine.

Na prática, ele fica a cerca de 110 km da cidade de Puerto Natales, então vale a pena alugar um carro ou comprar uma passagem de ônibus. Ademais, o ideal é que você saia cedinho para aproveitar o dia.

Enfim, o local é considerado Patrimônio da Humanidade e tem uma paisagem de tirar o fôlego por conta das suas torres rochosas e nevadas. Além disso, é considerado um dos locais mais bonitos da América do Sul.

Torres del Paine
Fonte: Pixabay

Tem muitos passeios a serem feitos na região, desde trekking e trilhas, até visitar as cavernas e apreciar a paisagem de neve. Não deixe de ver o Glaciar Grey! Vale muito a pena dedicar um dia inteiro para aproveitar tudo.

Patagônia Chilena: dia 3

No terceiro dia, vale a pena visitar o Monumento Nacional Cueva del Milodon. A 24 quilômetros de distância de Puerto Natales, o local é uma caverna com duzentos metros de profundidade, formada a partir de uma geleira há milhares de anos atrás.

O que mais chama a atenção no local é a réplica de um mamífero chamado Milodon, que teve um fóssil encontrado há cerca de 100 anos atrás e causou grande burburinho no meio científico.

Cueva del Milodon
Fonte: Across South America

Para chegar até a caverna, existe um caminho (que demora, em média, quinze minutos a pé) e a paisagem é realmente belíssima, com estalactites de gelo e a flora natural da região.

Ali pertinho, também vale a pena visitar outras duas cavernas para fechar o dia: Cueva del Medio e Cueva Chica.

EXTRA: Para quem gosta de aventuras mais radicais e quiser fazer um passeio adicional e mais longo nesse dia, vale a pena seguir das cavernas para a trilha de Cerro Benitez. O percurso dura cinco horas em média e permite ter uma vista aérea da Patagônia Chilena.

Patagônia Chilena: dia 4

Depois de dois dias cansativos e cheios de aventuras nos atrativos principais da viagem para a Patagônia Chilena, o último dia pode ser dedicado a um passeio pela cidade de Puerto Natales.

A cidade, que é a principal base para os turistas que vão em busca da Patagônia, tem muitas belezas naturais e história para contar. Além disso, é rodeada de montanhas de neve, também tem estâncias e comércio local.

Por lá, vale a pena visitar o Museu Frigorífico, o Museu Municipal, os criadores de ovelhas e, especialmente, passear sem rumo pelo centro da cidade, que tem um charme de interior e muitos restaurantes com comidas típicas.

Então, esperamos que tenha gostados das dicas para criar o seu roteiro para a Patagônia Chilena e desejamos uma boa viagem!

Leia mais: Santiago – Chile: dicas do que você precisa fazer e visitar

Liandra Santana

Eu sou daquelas que toparia viajar pra qualquer lugar do mundo. Meus únicos requisitos são: economia, boas fotos e muuuitas memórias! Partiu?

Ver história

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.