Moulin Rouge

A ideia era atrair a elite para a região de Montmartre, à margem da sociedade parisiense da época. A época, o século XIX, o auge da chamada Belle Époque, novembro de 1889.

O Moulin Rouge não é apenas mais um traço histórico ou ponto turístico da França, é um marco, um símbolo, um pedaço indispensável a ser contado na história da boemia de uma cidade que sempre esteve à frente de todas as outras. Joseph Oller e Charles Zidler, seus fundadores, já eram experientes empresários no ramo de performances quando descobriram uma incrível quadrilha que se apresentava no Elysée-Montmartre; no ato, Zidler contratou toda equipe. O Moulin Rouge era, então, o maior dos cabarés. Um divisor de águas em uma das já mais festivas noites da Europa. Um dos destaques era o enorme elefante de madeira decorado no jardim, mais um detalhe ostensivo, onde a dançarina da noite fazia apresentações de danças extremamente sensuais. A mais famosa delas, o Cancã.

E não só grandes membros da elite se encantavam pelas belas pernocas do cabaré, mas também marginais e artistas que viviam à espreita do lugar. Um de seus maiores admiradores foi o pintor, hoje consagrado, Henri de Toulouse-Lautrec. Toulouse-Lautrec ficou famoso por seus inovadores retrados de personagens da região de Montmartre, pelo característico uso de cores e traços e por sua figura bizarra – tendo sofrido um acidente ainda na pré-adolescência, Henri era deformado e anão. Frequentador do Moulin Rouge desde sua fundação, pintou inúmeros cartazes que dilvugavam os shows que aconteceriam na casa. E uma de suas maiores musas era La Goulue, a maior estrela das noites do cabaré.

Louise-Joséphine Weber, ou La Goulue (A Gulosa), como era conhecida, estava habituada a servir de inspiração para os pintores: desde muito cedo apaixonada homens e pincéis. Aos 23 anos foi contratada por Charles Zidler por conta de seus talentos na dança e por suas torneadas formas. Formas que a imortalizaram nas telas de Lautrec e na história do escandaloso e festivo Moulin Rouge.

Se você vai à França, não pode deixar de ver com os próprios olhos esta emblemática representação da noite de Paris. Hoje em dia, o lugar oferece espetáculos que evocam o espírito da época e é aberto para visitações. As noites de mais audiência são as que oferecem show e jantar, com preços de 150€ a 180€. Caso não queira comer, também há pacotes de shows com ou sem garrafa de champagne. Os preços variam de 90€ a 110€.


O Moulin Rouge fica na Boulevard de Clichy, nº 82 – Paris.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *