• Menu
  • Menu
Viaduto 13

Viaduto 13, em Vespasiano Corrêa: a ponte férrea mais alta das Américas

Há alguns meses resolvi conhecer o Viaduto 13, em Vespasiano Corrêa, no Rio Grande do Sul. Apesar de ser uma construção linda e antiga, já com uns 45 anos, tenho a impressão de que o viaduto foi “descoberto” pelos turistas há pouco tempo. Nunca tinha ouvido falar dele há alguns anos atrás…

O lugar não é muito longe de Porto Alegre, a capital. Saímos de manhã, por volta das 10h, e chegamos em aproximadamente 3h de carro. Logo que eu cheguei, me perguntei por que eu demorei tanto para conhecer o lugar.

Fonte: Júlia Burg

Onde fica o Viaduto 13?

O Viaduto 13 (ou Viaduto do Exército) está localizado em um trecho entre Vespasiano Corrêa e Muçum, municípios próximos de Caxias do Sul e Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha. A região é conhecida pelo charme europeu das cidades de Gramado e Canela e as casas de vinho da Rota dos Vinhedos.

Assim como nas cidades vizinhas da Serra, a natureza por lá é exuberante, e predominam a arquitetura e a culinária típicas do período da colonização italiana, com influência da imigração polaca.

Mas o ponto alto de Vespasiano Corrêa é mesmo a tal Ferrovia do Trigo (EF-491), que deu origem às construções incríveis como o Viaduto 13.

Aliás, a uns 56 quilômetros dali, no município de Dois Lajeados, tem outro viaduto tão bonito quanto o 13 que pertence à mesma linha férrea: o Viaduto Mula Preta.

Como chegar no Viaduto 13, em Vespasiano Corrêa?

Saindo de Porto Alegre, o caminho mais curto é este:

  • Pegar a Rodovia do Parque (448) por cerca de 11km até a rótula de acesso à estrada 386.
  • Seguir a 386 por aproximadamente 86 km até a rótula de acesso à RS-130 em Lajeado, que leva a Arroio do Meio, Encantado e Muçum.
  • A estrada bifurca na altura de São José. O condutor deve seguir à direita pela RS-129 costeando o Rio Taquari.
  • Em Muçum, a estrada bifurca mais uma vez. Seguir à esquerda pela Estrada Viaduto 13 (de chão batido) ao lado do Rio Guaporé.
  • A entrada do Viaduto 13 fica próximo do Camping Paraíso Tropical.

Estrada do Viaduto 13.
Estrada do Viaduto 13.

Saiba mais sobre o Viaduto 13

O Viaduto 13 foi construído em 1975 pelo Exército Brasileiro, tendo sido projetado ainda no fim da Segunda Guerra Mundial. É o 13º de uma série de viadutos que começam em Muçum — por isso o nome.

Com 143 metros de altura e 509 metros de comprimento, hoje em dia é a ponte férrea mais alta da América do Sul e o terceiro viaduto de trem mais alto do mundo. Ao chegar na parte debaixo do viaduto, a visão dos pilares já é incrível e rende ótimas fotos!

É o lugar perfeito para praticantes de esportes radicais como rapel e base jump, e muito procurado também pelos amantes de trekking (trilhas) por causa da vegetação densa, as vistas e os campings na região.

Quando fomos, ficamos só nos arredores do viaduto mesmo. Almoçamos sanduíche na beira do Rio Guaporé e depois subimos até o topo do viaduto a pé. Mas minha dica é fazer o trajeto de carro porque a estrada é longa e a subida é bem cansativa (ainda mais se estiver calor como fazia no dia).

Vale
Fonte: Júlia Burg

O que fazer no Viaduto 13, em Vespasiano Corrêa?

Lá de cima dá para enxergar os morros verdes ao redor e o contorno do curso do Rio Guaporé. Momento de apreciar a vista, que é simplesmente incrível, e tirar muitas fotos!

Se você for mais destemido, caminhe até o lado contrário da construção e entre nos guarda-corpos (bordas da ponte). O Viaduto tem proteção por toda a extensão e passa só um trem por dia (para transporte de carga), então todo mundo se sente bem à vontade para transitar.

Não deixe de conhecer também o túnel que fica logo na chegada dos trilhos! Tem trechos muito bonitos com grafite na parede e arcos que deixam entrar a iluminação da rua, mas a maior parte do túnel fica no breu, então a dica é usar uma lanterna ou a luz do celular para caminhar lá.

Túnel
Fonte: Júlia Burg

E aí, pronto pra aventura? A verdade é que tem muito mais para explorar nos arredores do Viaduto 13, em Vespasiano Corrêa, mas fica para um outro post!

Com as dicas de hoje você pode fazer um bate-e-volta (como eu fiz) gastando super pouco e colocar mais um check na sua lista de viagens com esse lugar incrível no Rio Grande do Sul. Aproveite, e boa viagem! 😉

Júlia Burg

Jornalista em aventura no marketing digital, redatora de conteúdo e viajante nas horas vagas. Morei um ano e alguns meses em Londres, capital da Inglaterra, e conheci uma porção de lugares incríveis. Agora quero dividir todas as minhas experiências com vocês! :)

Ver história

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.